• Portal SEI

Carnaval

13/02/2018 20:20

Sesab registra redução de 22% em atendimentos no Carnaval

Até as 18h desta terça-feira (13) foram realizados 97 atendimentos relacionados ao Carnaval nas unidades de pronto-atendimento da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Esse número é 22% menor do que o contabilizado no mesmo período de 2017, quando 123 pessoas foram atendidas. Como em todos os anos, o atendimento por agressão física é sempre maior. Este ano, 57 pessoas foram atendidas por esse motivo.

A unidade com maior número de ocorrências é o Hospital Geral do Estado (HGE) com 65 notificações, sendo 34 vítimas de agressão física, oito por queda, sete por atropelo e cinco de agressão por arma branca, entre outros.

Já nos hospitais gerais Ernesto Simões Filho (HGESF), Subúrbio, Menandro de Faria (HGMF) e Eladio Lasserre foram registrados 32 atendimentos relacionados à folia momesca. Na Unidade de Emergência de Pirajá, foram registrados apenas dois atendimentos.

Corregedoria

A equipe da Corregedoria da Saúde (CGS) vem atuando em todos os dias do carnaval nos hospitais e unidades de emergência da Rede Própria da Sesab. No período de 8 a 13, as equipes realizaram 76 inspeções, verificando os plantões de 1.921 servidores. Desses, 178 foram notificados.

Nos dias de fiscalização, são avaliadas e apuradas a regularidade da atuação funcional e a conduta dos servidores, buscando maior efetividade na prestação do serviço público de saúde. Durante as visitas, são observados itens como escalas afixadas em locais de fácil acesso, a frequência dos servidores designados para os plantões e trocas realizadas.

Testagem rápida e preservativos


Este ano, a procura pelo testes rápidos nos três postos montados (dois em Salvador e um em Porto Seguro) cresceu. Dados registrados até a madrugada desta terça (13), apontam a realização de 5.914 testes. No ano passado, no mesmo período, foram realizados 4.573 testes rápidos. Até o momento, foram distribuídos quase dois milhões de preservativos.

Nos postos, localizados na Barra (Avenida Centenário), em Ondina (na Avenida Adhemar de Barros) e em Porto Seguro (Passarela do Descobrimento), os foliões podem realizar testes rápidos para detectar doenças como HIV/Aids e sífilis, além das hepatites virais.

Tudo é feito rapidamente, basta uma furadinha no dedo e a coleta de algumas gotas de sangue e, em 20 minutos, os resultados ficam prontos. O atendimento é realizado por uma equipe multidisciplinar, formada por assistente social, enfermeiro, bioquímico e psicólogo. Os postos funcionam ainda nesta terça-feira de Carnaval, das 17h à 1h.

Hemoba no Carnaval

De quinta (8) até esta terça (13), a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) arrecadou 276 bolsas de sangue. Com o slogan 'Não fique parado, doe Sangue', a Hemoba recebeu 340 candidatos neste período. Todos os anos, a fundação promove uma campanha com o objetivo de reforçar o estoque e garantir o atendimento tranquilo e seguro das possíveis demandas emergenciais durante o Carnaval. O posto de coleta da Hemoba, na Avenida Vasco da Gama, em Salvador, funcionou normalmente durante os dias de Carnaval. Nesta quarta-feira (14), unidade funcionará a partir das 13h.

Vigilância Sanitária e Ambiental

A Vigilância Sanitária e Ambiental (Divisa) realizou ações pré Carnaval e também durante a folia em unidades produtoras de alimentos, unidades de saúde e rede hoteleira, que têm impacto direto em usuários, foliões e trabalhadores quanto aos riscos na produção de alimentos e prestação de serviços, visando proteger os cidadãos. Ao todo foram realizadas 436 inspeções, distribuídos 76 mil preservativos (masculino e feminino) e 108 ações de suporte técnico às equipes de fiscalização (instrução processual).

As ações de fiscalização, investigação e monitoramento foram realizadas em Salvador e região metropolitana, com o objetivo de reduzir e eliminar riscos sanitários, que aumentam exponencialmente no período de Carnaval.
Durante as abordagens, as equipes promovem ação educativa em estabelecimentos de hotelaria, voltada para prevenção do HIV, Aids e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Os responsáveis pelos estabelecimentos também foram orientados quanto à realização de ações de controle do mosquito Aedes aegypti e ações educativas voltadas para a Campanha #ZiKaZero do Ministério da Saúde.

Violência contra a mulher

Durante o Carnaval, o espaço para a mulher ser acolhida e receber todo o suporte necessário em casos de violência sexual, o Serviço AME, localizado no Hospital da Mulher, no Largo de Roma, em Salvador, prestou assistência a seis vítimas de violência, com idades entre 17 e 40 anos. O serviço atende integralmente mulheres e adolescentes a partir dos 12 anos que forem expostas a situações de abusos e violência sexual.

Composto por equipe multiprofissional, o serviço é formado por médicos ginecologistas, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogas e farmacêuticas, com funcionamento nas 24horas, todos os dias da semana, incluindo finais de semana, carnaval, feriados e demais datas comemorativas.

Fonte: Ascom/Sesab

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.