• São João da bahia

Educação

13/06/2018 17:50

Gestores de 88 escolas recebem equipamentos para projeto de prevenção da gravidez na adolescência

Gestores e estudantes de 88 escolas estaduais de Salvador participaram, nesta quarta-feira (13), no auditório da Secretaria da Educação do Estado, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), da entrega de notebooks e projetores (um de cada por unidade escolar) para a execução, nas escolas, do projeto de Prevenção à Gravidez na Adolescência. A entrega faz parte da segunda etapa da iniciativa, que realizou a formação de professores e de seis estudantes, por unidade, para atuar na mobilização nas escolas, promovendo atividades e orientações sobre o tema. A ação é desenvolvida em parceria pelas secretarias estaduais da Educação, da Fazenda (Sefaz) e da Saúde (Sesab). 

O coordenador de Meio Ambiente e Saúde da Secretaria da Educação, Fábio Barbosa, explicou como os mobilizadores irão atuar nas escolas. “Este é um projeto que discute nas escolas a ação da gravidez não planejada ou indesejada no percurso educativo das nossas estudantes. Então, desenvolvemos um projeto, a partir de 2017, que preconizasse a metodologia do ‘jovem educa jovem’, que define um processo de formação de nossos alunos, escolhidos por meio de uma pesquisa prévia, onde identificamos jovens que têm grande popularidade frente aos demais. Com isso, formamos uma equipe que vai atuar junto a um mobilizador local, formado por um estudante universitário, para dinamizar as diversas atividades do projeto. Com a entrega destes materiais, queremos dar condições para as equipes possam a trabalhar efetivamente nas escolas”, disse.
 
Para a coordenadora do projeto na Sefaz, Ana Cristina Castelo Branco, o projeto é estruturante. “Neste trabalho, a gente pretende realizar ações conjuntas na escola para orientar e estimular projetos de vida para conseguir prevenir e, em caso de gravidez, que as jovens possam ter todo o apoio necessário”. Segundo a coordenadora do projeto na Sesab, Zaida Melo, o diferencial do projeto é atrair mobilizadores das próprias unidades escolares. “Estes monitores surgindo de dentro do circulo dos próprios adolescentes cria uma aproximação mais fácil com o público-alvo. A ideia é que, além da prevenção realizada nas escolas, as jovens tenham a estrutura de nossas unidades de saúde estaduais como forma de prestar todo o atendimento”, ressaltou.
 
A estudante Camila Cerqueira,  do 2º ano do Ensino Médio, da Escola Estadual Luiz José de Oliveira, em Fazenda Grande, comentou sobre a participação no projeto. “Acho que o fato de os estudantes estarem diretamente ligados às orientações que serão passadas aos colegas, contribui para mostrar que a escola se importa com ele de uma forma completa, incluindo saúde. Com a gente, os colegas poderão ter uma conversa mais direta tirando dúvidas e tendo as orientações que precisarem saber”, contou.

Para a diretora Lucia Ferreira, do Colégio Polivalente do Cabula, “o encontro consolida todo o trabalho que vem sendo realizado para que o projeto tenha êxito. E a escola é o local principal para a preparação e discussão de temas como a prevenção da gravidez na adolescência, como forma de criar um projeto de vida. Desenvolvemos os cursos formativos para a participação dos alunos neste processo e todos estão prontos para atuar nesta mobilização. Além da família, a escola tem essa obrigação de realizar essas orientações”. 

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.