• mapa de mídias
  • Investimentos na região sisaleira

Educação

05/12/2017 17:30

Gestores da Educação Profissional e Tecnológica fazem formação pelo Escolas Transformadoras

Apresentar experiências e definir planos de atuação nas unidades da Educação Profissional e Tecnológica da rede estadual. Com esse objetivo, a Secretaria da Educação do Estado promove, até esta quinta-feira (7), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, a 2ª Jornada das Escolas Transformadoras. A formação dos gestores está sendo executada por meio do ‘Programa Escolas Transformadoras’, idealizado pela instituição internacional Ashoka, parceira do Instituto Alana, no Brasil.

A proposta do programa é’ também estabelecer a integração entre o currículo escolar com as características empreendedoras dos estudantes associadas aos seus aspectos socioemocionais. Presente à abertura, nesta terça (5), o secretário estadual da Educação, Walter Pinheiro, falou sobre o impacto deste programa nos centros de Educação Profissional e Tecnológica.

“Neste tempo que estamos à frente da secretaria, conhecemos escolas com bons trabalhos. O que queremos é ampliar essas atuações, possibilitando que os agentes escolares possam definir o que é melhor para a sua unidade e não definirmos fórmulas prontas. Por isso, é fundamental que realizemos ações transformadoras para conectarmos as escolas, aproveitando o envolvimento e o entusiasmo dos estudantes e professores, que já encontramos na rede estadual”.

Educação Formação
Foto: Claudionor Jr

Ao ressaltar a valorização dos espaços escolares, o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Durval Libânio, afirmou que o encontro estabelece essa troca de experiências que precisam servir de inspiração e não copiadas. “Temos a consciência que a educação é realizada em cada escola e o intercâmbio é importante para motivar novas iniciativas. Para 2018, já temos algumas mudanças estabelecidas para os cursos da Educação Profissional, como os currículos e o tempo de formação. Tudo isso para qualificar, ainda mais, a oferta e dinamizar o aprendizado”.

O coordenador da Ashoka no Brasil, Antônio Lovato, disse como o programa pode contribuir com as unidades estaduais. “Acompanhamos 18 escolas no País, do ensino infantil à Educação de Jovens e Adultos (EJA), que produzem trabalhos inspiradores. Nossa ideia é apresentar aos educadores, formas de trabalharem alguns aspectos como empatia, trabalho em equipe, criatividade e protagonismo, dando o suporte para que produzam sua própria metodologia, conectada com o contexto e o ambiente de cada localidade”.

Segundo Raquel Frazin, do Instituto Alana, a concepção do programa é a de que os estudantes, professores e comunidades são agentes de transformação social. “Por isso, essa parceria busca levar aos gestores da Educação Profissional, elementos para que eles possam se apropriar em seus próprios territórios e continuar atuando em prol de uma educação que trate o estudante, não apenas como alguém que precise aprender uma profissão, mas alguém que com essa profissão que atue em prol das transformações sociais”.

O diretor Petrônio Silva, do Centro Territorial da Educação Profissional do Extremo Sul, em Teixeira de Freitas, enfatizou que “o projeto vai trazer novas ideias para atuarmos no dia a dia do fazer pedagógico. Todos sabem que a formação continuada é uma necessidade para os gestores e educadores e essa ação se mostra bastante inovadora”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.