• Revista Bahia Oportunidades
  • Sei Bahia
  • mapa de mídias

Educação

11/08/2017 17:00

Secretário discute educação inclusiva com o escritor Fausto Joaquim

As ações da Educação Inclusiva implementadas na rede estadual de ensino foram discutidas, nesta sexta-feira (11), pelo secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, e escritor e conferencista Fausto Joaquim, na sede do órgão, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Autor de três livros, entre eles “A Era da Pós-Deficiência”, Joaquim é especialista no tema.

Diagnosticado com paralisia cerebral perinatal logo na infância, Joaquim se tornou militante do movimento pela inclusão social da pessoa com deficiência na sua adolescência, viajando o Brasil inteiro fazendo conferências sobre o assunto. Durante a audiência com o secretário, ele defendeu que, nos dias de hoje, “ninguém é excluído pela condição física e sensorial, mas pela falta de conhecimento e por não ter acesso à tecnologia, afinal estamos na era do conhecimento”, afirmou.

Pinheiro destacou que a Secretaria lançou recentemente as Diretrizes para a Educação Inclusiva na Bahia, marco histórico e orientador das práticas pedagógicas dos professores e da organização das estruturas escolares. “Este documento destaca que não temos educação especial ou, até mesmo, educação exclusivista para estudante com deficiência, mas sim uma Educação Inclusiva, que se aplica a todos os estudantes. Não é o caso de marcar um estudante e tratá-lo como estudante com deficiência, mas sim como estudante. A escola tem que receber os estudantes e tratar da Educação Inclusiva”, destacou o secretário. Pinheiro também explicou que a Secretaria está preparando um concurso público, previsto para este ano, que contemplará professores e coordenadores pedagógicos especializados nesta área.

Fausto Joaquim ainda destacou que a sociedade precisa avançar para a inclusão. “Nesta era pós-industrial nós estamos identificando que deficientes não são as pessoas, mas o modelo de sociedade que aí está. A mudança dessa estrutura não acontece da noite para o dia. Por isso, acho muito importante esta visão do secretário”, disse. Também participaram da audiência, o superintendente de Políticas para a Educação Básica, Ney Campello, a coordenadora de Educação Inclusiva, Patrícia Braile, além da esposa do escritor, Telma Freitas, e o filho Iury.

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.