• Portal SEI
  • Festival

Desenvolvimento

18/09/2014 10:50

Entrega da nova Avenida Pinto de Aguiar melhora condições de tráfego em Salvador

Com a entrega das obras de duplicação da Avenida Pinto de Aguiar, na manhã desta quinta-feira (18), quem trafega pelo bairro de Pituaçu e região, e os motoristas que desejam ter acesso à orla de Salvador e à Avenida Paralela farão o trajeto em muito menos tempo. A liberação de três faixas em cada sentido, com 3,3 quilômetros de extensão, e via exclusiva para ônibus, vai liberar o trânsito também para os moradores dos bairros próximos à via, que utilizam a Pinto de Aguiar como principal meio de acesso a outros pontos da cidade.

Durante a cerimônia de inauguração da avenida, o governador Jaques Wagner ressaltou a importância das obras e como isso vai mudar a vida e a mobilidade na cidade. "Essa avenida é parte de um conjunto de intervenções que estão mudando a cara de Salvador e preparando a capital para ser um espaço melhor para os baianos. Eram duas pistas. Agora são seis, que estarão integrando outras vias até o Lobato, cortando a cidade de um lado a outro".

As obras, de responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), órgão ligado à Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedur), receberam R$ 63 milhões em investimentos para a construção das vias para veículos e motos, ciclovia nos dois sentidos da avenida, passeios, iluminação e sinalização adequada, além de intervenções de paisagismo.

Ligação com o subúrbio

As intervenções em mobilidade do Governo do Estado ainda continuam, mesmo com a entrega da duplicação da Avenida Pinto de Aguiar. Isso porque estão sendo construídos túneis e uma passagem subterrânea para ligar a Pinto de Aguiar à Avenida Gal Costa, que será ampliada, seguindo até o bairro do Lobato. O trajeto é parte do Corredor Transversal de Tráfego I, que ligará Patamares ao Subúrbio e terá, no total, 13 quilômetros de extensão.

As próximas obras incluem a requalificação do trecho entre Pirajá e a Avenida Suburbana, no Lobato, além da construção de nove viadutos, dois túneis. A construção de ciclovias e a macrodrenagem dos rios Camurujipe e Pituaçu também integram o projeto.

Já com o Corredor Transversal II, o objetivo é ligar a orla de Salvador e a BR-324, por meio da Avenida 29 de Março, com 12 quilômetros que saem da Avenida Orlando Gomes e seguem passando pelo Parque Tecnológico, na Paralela, e Via Regional, chegando até Águas Claras. Para essa etapa, será necessária a construção de seis viadutos, cinco pontes e onze quilômetros de ciclovia.

Juntos, os dois corredores transversais, que têm previsão de entrega em até três anos, vão receber R$ 1,3 bilhão em recursos e conseguirão reduzir o percurso subúrbio-orla de uma hora e meia para meia hora. O projeto que vai mudar a mobilidade da cidade ainda prevê a integração desse sistema com o Metrô de Salvador, implantação de áreas verdes e ações sociais para atender mais de duas mil famílias do entorno das vias.

Programa de mobilidade


Todas as vias fazem parte do Programa Mobilidade Salvador, projeto que prevê uma série de intervenções, parte delas já inauguradas, que vão receber cerca de R$ 8,5 bilhões. Entre as obras estão o Complexo de Viadutos Imbuí-Narandiba, a Via Expressa, as Linhas 1 e 2 do Metrô de Salvador, Complexo Viário 2 de Julho (rótula do aeroporto), Ligação Avenida Luís Eduardo Magalhães - BR 324 e Vias Marginais da Paralela, além dos Corredores Transversais I e II.

Publicado às 10h
Atualizada às 10h50

Passagem subterrânea da Avenida Pinto de Aguiar:

Áudio:

Vídeo:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.